O discurso do Presidente Jair Bolsonaro na ONU

by - 11:47

Fala galera da Finansfera!!!





Dificilmente eu me pronuncio sobre política aqui no blog. Este assunto gera muita polémica e divide pessoas, famílias, amigos e dá muita confusão por falta de respeito à opinião alheia. No entanto, ontem eu assisti o discurso do presidente Bolsonaro e gostei bastante do texto. Vou detalhar um pouco minha opinião aqui. Adianto a todos que não é o objetivo ficar discutindo políticas, esquerda, direita, centrão nem nada, é apenas minha opinião sobre o discurso.

Intolerância política


O que me motivou a escrever este post foi uma situação que aconteceu comigo hoje. Uma pessoa não gostou da minha opinião sobre o discurso do presidente Bolsonaro. Esta pessoa disse que não poderia conversar com alguém que apoiasse o presidente Bolsonaro.

Depois deste episódio eu fiquei pensando, como algumas pessoas são intolerantes com a opinião de outras pessoas. Não estava fazendo nada de apoio a nenhum candidato nem a nenhum partido, estava apenas elogiando o discurso do presidente do Brasil na conferência da ONU. Percebam aqui que não estou externando nenhuma opinião sobre partidos políticos muito menos sobre o apoio a um candidato A ou B estou apenas falando sobre o discurso que foi lido ontem na conferência da ONU.  

O discurso do presidente Bolsonaro na ONU


Eu achei o discurso do presidente Bolsonaro excelente. Algumas pessoas que criticaram, não devem ter conhecimento do que significa a soberania de um país. Muitas pessoas criticam os Estados Unidos no entanto se formos avaliar o país em seu patriotismo veremos que nós estamos muito atrasados. Os Estados Unidos são um exemplo de patriotismo e soberania. Por lá eles não deixam ninguém se meter nem falar mal.

Voltando ao discurso do presidente Bolsonaro, o discurso foi firme e direto para todos os países que fazem parte da ONU. De uma maneira firme e clara o presidente Bolsonaro disse que o Brasil está aberto a negociações com qualquer país que ofereça um bom acordo. Disse também que não tem compromisso com países socialistas, com países de questões duvidosas quanto á seu povo, sua economia ou quanto a qualquer outra agenda oculta ou não. Deixou claro o: não fazemos trato com vagabundo.

Explicou muito bem que a política que estávamos tendo não estava funcionando, o que levou diversos políticos à prisão. Mostrou que a política utilizada nos últimos anos favoreceu a corrupção o que deixou o Brasil em uma situação muito difícil. Essa corrupção mancha nossa reputação e nossa soberania. O país sofre quando é comparado com outros países. Eu já viajei bastante por ai e alguns países não entendem como nossos políticos podem ser tão ladrões e concordar com tanta corrupção. Para esses países, é simplesmente inadmissível algumas coisas que acontecem por aqui.


A Amazônia é nossa!!!


Um ponto que eu achei muito importante foi quando ele se pronunciou dizendo que nenhum país pode vir ao Brasil e ditar regras. Essa história de que Amazônia é do mundo é uma grande balela, a Amazônia é do Brasil! Por aqui nós temos muita biodiversidade, muita riqueza, muita coisa que alguns países não tem e por isso a interesses desses países em explorar o Brasil. Vocês sabiam que já existe a hidropirataria? Já sabiam que navios que vêm da Europa descarregam o que trazem e voltam com nossa água doce? Pois é, isto existe por que é mais barato voltar com a água doce daqui do que tratar a água salgada de lá. 

Macron não se meta com o Brasil


Quando o presidente Bolsonaro falou da França eu achei sensacional. O recado dado é de não se meter na soberania do Brasil. Nós temos um presidente, nós temos um parlamento, nós somos um povo soberano então não pode um país ditar regras aqui dentro e dizer o que a gente deve fazer. Então o recado para a França eu achei espetacular. Ele deixou claro que países que queiram contribuir que queiram doar dinheiro para o fundo Amazônia ou qualquer coisa para ajudar o Brasil que o faça mas sem ofender a soberania do Brasil. Não estamos à venda.



Você achou o discurso agressivo?


Algumas mídias falaram que o discurso foi agressivo desnecessário e que atacou outros países. No meu ponto de vista o discurso foi direto dando recado para aqueles países que acham que podem se meter na política do Brasil e também para aqueles países socialistas em que seu povo passa por várias dificuldades enquanto alguns se perpetuam no poder. Somos um povo acolhedor,  milhares de venezuelanos estão vindo para o Brasil e estão sendo acolhidos, no entanto não queremos isso para o Brasil. 

O jornal também disse que o presidente Bolsonaro criticou o programa Mais Médicos quando na verdade, todos sabemos que o dinheiro que era pago não iria para a mão do médico cubano, que iria para Cuba, para o governo cubano. Além de que sabemos da qualificação desses profissionais que não passaram por uma prova para validar seus diplomas.

A questão das queimadas também foi bem pontuado. Temos queimadas todos os anos no Brasil algumas delas criminosas mas a mídia explora isso de maneira negativa. Então, olhando por esse ponto de vista ele também foi muito certeiro quando convidou todos a virem conhecer o Brasil e não fazerem juízo de valor do que estão vendo nos noticiários.

Conclusão

Resumindo, o recado dado foi: o Brasil é um novo país, o Brasil está crescendo, estamos erradicando a corrupção, estamos fazendo o crescimento econômico e estamos aberto a negociar com os países que oferecerem um bom acordo. Deixou claro que a corrupção não tem vez quando falou que o juiz que foi responsável pelo maior caso de corrupção já existente, a Lava Jato, o Sérgio Moro, hoje é o ministro da justiça e segurança pública. Essas mensagens transmitem segurança para os países que querem fazer acordos com o Brasil. 

As pessoas precisam entender que um país soberano tem que se impor, tem que dar o seu recado. Não podemos de modo algum ficar como colônia de alguns outros países, sempre que o Brasil está para decolar em algum assunto algum escândalo surge algo e atrapalha todo nosso desenvolvimento. 

A você que me segue e tem uma opinião diferente, entenda que eu te respeito muito. Este post não é exatamente sobre política mas sim sobre um discurso patriótico e soberano que eu gostei muito. Por aqui seguimos falando de estratégias de investimentos, lifestyle e outras coisas boas da vida. Fique a vontade para expressar suas opiniões nos comentários mas sem ofender ninguém.

Forte abraço a todos!



You May Also Like

33 comentários

  1. Foi um bom discurso. Infelizmente dizer ao dizer simplesmente isso, já vem a galera do discurso "paz, amor e tolerância" atirar pedras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi sim. Temos que separar as coisas. Ele, como presidente do país, deu o recado que somos soberanos. Isso que importa.

      Excluir
  2. Não gostei do discurso, mas tem quem gosta. Faz parte.

    Mas não vou comentar nada sobre isso. Só sobre o início do post, que pra mim foi meio sem sentido. No início, você começou falando sobre intolerância política (bem louvável levantar esse ponto), mas logo no parágrafo seguinte você disse que "Algumas pessoas que criticaram, (sic) não devem ter conhecimento do que significa a soberania de um país". Será que você não está sendo um pouco intolerante nisso daí?

    Já parou pra pensar que pode não ser questão de não saber o que significa soberania? Pode ser que a pessoa não seja nacionalista e esteja cagando pra esse tipo de coisa. Considero que Einstein foi uma pessoa muito esclarecida. E compartilho da opinião dele sobre esse ponto: "I look upon myself as a man. Nationalism is an infantile disease... measles of mankind"

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Anonimo, faltou eu explicar mais. O discurso, na minha visão, foi um recado de que somos soberanos. Eu não vou mencionar quem criticou porque não é o foco mas foi na conversa que tive, a pessoa não entendia o que era soberania, ( pedi pra me explicar) e criticou.

      Não sou intolerante, se fosse moderava posts com opinões contrárias às minhas.

      Abraço.

      Excluir
    2. Que resposta mais sem sentido, PQP.
      Considero que você é de raciocínio muito raso: existe soberania sim. Faca o seguinte: vou na sua casa vomitar minhas regras e você ficará calado, combinado? Acho que aí entenderá o que é soberania de alguma maneira.

      Excluir
    3. Só podia ser o Heavy Mental este anon ai. ja tava desconfiando. Esse cara deveria ser banido da blogosfera por ser arruaceiro e totalmente sem respeito.

      Excluir
    4. Esse anon é um piada kkkkk citando frases de Einstein totalmente fora de contexto.

      Só esqueceu de comentar que ao falar isso Albert estava criticando o nacionalismos alemão, esse mesmo nacionalismo que foi usado como massa de manobra para o Nazismo e que por consequência é uma vertente adaptada do Comunismo. Comunismo esse que foi duramente combatido no discurso do Bolsonaro na ONU.

      Então sim, a fala do Einstein só corrobora o discurso do Bolsonaro, já que agora o Comuno/Globalismos busca um anti-nacionalismo para dominar, a ferramenta é outra, mas a intenção é a mesma.

      Excluir
  3. Foi exatamente pra isso que votei nesse xibungo! KKKKK
    Discurso foi muito bom, adorei. Mais ainda pelo apoio e elogio públicos de Donald Trump que ele recebeu.
    Quero ser aliado de Israel e Estados Unidos, quem gosta de Cuba é comunista ladrão.
    O barco atolado pelo PT, chamado Brasil, está saindo da lama.
    https://www.oantagonista.com/economia/brasil-cria-121-mil-empregos-formais-em-agosto-melhor-resultado-desde-2013/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é HM, recado dado. Sigamos em frente que a luta é grande. Discurso vai repercutir muito ainda.

      Tá até rolando um vídeo no WhatsApp mostrando a globo noticiando e a record também. Engraçado de ver a mesma notícia sendo noticiadas completamente diferentes.

      Excluir
  4. https://opiniao.estadao.com.br/noticias/geral,hidropirataria-na-amazonia-um-delirio-imp-,579143

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A gente acredita no que quer

      https://www.ana.gov.br/noticias-antigas/roubo-de-a-gua-da-amazania-sera-debatido-na-cac.2019-03-14.5749530027

      Excluir
    2. Essa reportagem do Estadão é de 2010. Era outro governo. Esta última que coloquei é da Agência Nacional de Águas e é de 2019.

      Excluir
  5. Achei muito bom o discurso,claro e passou o recado , Só uma coisa que ficou de fora nessa psicose Ambiental, que ele poderia ter lembrado, que o Brasil é um dos países que mais usa energia renovável seja hidrelétrica ou Etanol.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Soldado, e estamos crescendo mais ainda nisso.

      Excluir
  6. Olá, BPM.

    Eu também gostei do discurso. Os vermelhos não gostaram e ficam falando que ele passou vergonha. Esse povo não tem noção.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Cowboy, não gostar do discurso é uma coisa mas passar vergonha passamos com estocagem de vento.

      Excluir
  7. Não ouvi ou li o discurso. Vi algumas chamadas sobre a repercussão do mesmo. Os que gostam do presidente estão elogiando. Os que não gostam do presidente estão criticando. Ou seja, repercussão normal, algo já esperado.

    Acho estranho que as pessoas briguem tanto por questões políticas,é triste ver que familiares e amigos deixam de se falar por questões que elas não têm controle, se você gosta do governo é do bem, se você criticar é do mal, é um comunista safado, as pessoas em geral tem que entender que o estado (político) não vai segurar a sua mão quando você precisar, ele não vai se importar se no dia de vencimento da sua conta de luz você não tiver dinheiro pra pagar, pois gastou no remédio, você não vai conseguir falar com o prefeito sobre não pagar o iptu pelo fato de ter que custear uma cirurgia ou a mensalidade da escola das crianças, não me venha fala que se não existisse corrupção os serviços públicos funcionariam normalmente, pois mesmo que funcionassem, alguns tratamentos não seriam custeados e você poderia ter problemas, mesmo tendo um condição financeira boa.

    Falar em soberania qualquer um fala, falar que o Brasil é soberano, que está pronto para se defender é uma coisa, mas na prática é outra, pois não temos caças para defender o nosso espaço aéreo, os mirages foram aposentados e sobraram apenas alguns f-5, alguns gripens chegarão só no ano que vem, lembrando que a Dilma fechou uma parte da base em Anápolis para reduzir os custos de manutenção.

    Recentemente aposentaram o nosso porta aviões da marinha, temos poucos caças amx na marinha, poucos submarinos e outros.

    No exército temos muitos homens de infantaria, mas armamento, defesa anti aérea e munição deixam a desejar.

    Não sei como o país está na questão de defesa quanto a guerra cibernética, pois se as ameaças tiverem acesso aos códigos fonte dos nossos armamentos, abraço, só lamento.

    As nações estrangeiras adquiriram inúmeras propriedades no Brasil, existem inúmeras ongs internacionais, os governantes sempre empurraram com a barriga aqueles que eles consideravam "inconvenientes", abrindo brechas para que "organizações do bem" os acolhessem, enfim, o buraco é bem mais embaixo.

    Não concordo em muitas coisas do atual governo, como a agenda neoliberal (socialismo fabiano disfarçado de liberalismo, mas que propõe aumento de impostos), vou deixar alguns vídeos do saudoso José Monir Nasser sobre o tema: https://www.youtube.com/watch?v=VYDP1F7iiqo

    https://www.youtube.com/watch?v=572M-MarDss

    https://www.youtube.com/watch?v=SAv8SQRMg44

    Não concordo com a política de privatizações, pois, como dizia o grande Enéas Carneiro em seu livro o Brasil em perigo: "não existe pátria sem patrimônio".

    Se O Estado brasileiro resolve permitir que empresas estrangeiras explorem os recursos nacionais, se apropriando das nossas riquezas em troca de migalhas para nós, isso é um ultraje, e não me venha falar que o Estado é incompetente, pois essa falácia e uma das armas que eles se utilizam para entregar as nossas riquezas, dizer que o Estado e incompetente e que por isso, devemos permitir que empresas estrangeiras sérias explorem, sendo que as perdas nacionais são imensuráveis, vou deixar o link para o livro o Brasil em perigo do Enéas: https://drive.google.com/file/d/1frSWHWPinjonrckbRgH5HeBbNgNjyn8l/view
    Vou deixar também alguns vídeos do Bautista Vidal sobre o esfacelamento da nação:

    https://www.youtube.com/watch?v=sKeTu8z3IoE

    https://www.youtube.com/watch?v=CPvc3Cd8GF4

    https://www.youtube.com/watch?v=W_mngm1MmFo

    Portanto, apenas digo que invocar o patriotismo e a questão de soberania nos tempos atuais (discurso político), pode até parecer interessante, que isso é bom, que está certo, na teoria pode até ser, mas na prática o buraco é mais embaixo, tudo isso não passa de um teatro, como num show de mágica (atenção direcionada) para que o público veja o que eles querem ver, uma aparência de realidade, enquanto, a realidade acontece em outro plano.

    Continua...

    Anon que resolveu comentar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anon que resolveu comentar, perfeitas colocações. Já vi que você tem ótimos pontos de vista e consegue debater sem emoções e radicalismos. Concordo com várias coisas que comentou. Daria um bom bate papo.Vou comentar aqui só algumas porque acho que essa troca de ideias é muito salutar.

      Em primeiro lugar quero dizer para você ouvir o discurso dele. Veja no youtube sem nenhum comentário de jornalistas, ouça apenas ele falando e ai você vai tirando suas conclusões.

      A questão de brigar por política, concordo 100%. Conversar sobre temas políticos é uma coisa bem como expor opiniões mas brigar e ser intolerante por causa disso, é extremismo e não traz nada de bom. Ninguém precisa brigar com outra pessoa só porque a opinião é diferente.

      Quanto às questões militares é um assunto que gosto bastante. No caso do poderio bélico do Brasil estar defasado não há o que questionar. Nossas aeronaves estão velhas assim como carros de combate e navios mas as coisas tendem a mudar. Já temos a nova aeronave KC390 e o Gripen chegando. Em resumo,nosso poder bélico deve ser capaz de manter a soberania na nossa região, na América Latina e não no mundo. Nunca vamos chegar ao nível dos EUA mas dos países que nos cercam é bem provável que tenhamos superioridade. Este governo é pró militar então podemos ter coisas boas vindo no futuro, aguardemos.

      você comentou de nações estrangeiras comprando propriedades no Brasil, concordo e pior, foi barato e consentido. Temos muito problema oculto que só o serviço de inteligência conhece.

      Quanto às privatizações, é um assunto bem extenso. Não concordo com a privatização de tudo mas algumas empresas públicas foram criadas desnecessariamente. Se começar por estas, tudo bem, depois discutimos as demais.

      Quanto a soberania, mesmo que tenhamos problemas no Brasil, isto não deve ser exposto lá fora. Problemas dentro de casa se resolve em casa e não baixando a cabeça para países que ainda acham que podem colonizar os outros. O comentário abaixo do Marcos Carvalho complementa esta ideia.

      Agradeço suas ponderações, pois gera bons questionamentos para pensarmos bem. Vou assistir os vídeos.

      Excluir
    2. Vou continuar o meu cometário, não consegui postar tudo por conta da limitação de 4.096 caracteres e por conta do trabalho, continuando...


      Sem contar que a França e as outras nações, são nações amigas do Brasil, o Brasil possui um programa para construção do submarino nuclear, a maioria dos helicópteros que o Brasil usa militarmente são franceses, ou seja, não é lógico "brigar" com uma nação amiga, isso lembra o velho teatro das tesouras.

      Isso serve para ocultar as recentes leis eleitorais aprovadas, leis que aumentam o fundo partidário, que limitam a análise do mérito das contas eleitorais, a utilização das verbas do fundo partidário para o pagamento de advogados, etc.

      Eu acho engraçado falar em patriotismo quando se congelou o gasto por 20 anos em áreas de desenvolvimento, infelizmente foi uma medida para tentar conter a inflação (congelamento dos gastos primários), amarga, mas necessária, entretanto, o governou aumento os gastos políticos que não fazem parte dos gastos primários, mas a pergunta que fica é se o governo precisa de ajustes econômicos, não é prudente aumentar os próprios gastos.

      Enfim, patriotismo para inglês ver, afinal, de que adianta dizer que somos patriotas, soberanos, que estamos prontos para nos defender, mas que na prática nem saneamento básico nós temos, o sudeste que é a região mais desenvolvida trata apenas 45% do esgoto, no nordeste 30%, de que adianta discurso pratiótico, se não teremos mão de obra qualificada ou universitários capazes de atender a indústria de ponta?

      De que adianta discurso exaltando o patriotismo que o Brasil vai fazer alguma coisa se nós não conseguimos competir a nível internacional, pois não somos fluentes em inglês, problema no ensino fundamental e médio, sem contar as "escolas particulares de inglês"?

      Se o pessoal fosse minimamente inteligente para resolver os problemas teriam agido no momento correto e refutariam com dados e não com palavras, sobre a amazônia vou deixar um ótimo texto sobre:

      http://www.defesanet.com.br/ffff/noticia/34000/Geraldo-Lino---O-que-todo-o-mundo-%28brasileiros-inclusive%29-precisam-saber-sobre-a-Floresta-Amazonica/

      Enfim, brigar ou elogiar o discurso, não importa, tudo faz parte do teatro, no fim, a população em geral paga a conta, gostando ou não.

      Vou continuar o comentário em outra resposta.

      Continua...

      Anon que resolveu comentar.

      Excluir
    3. Anon, os helicópteros que o Brasil usa não são na maioria da França. Os helicópteros franceses estão quase parados por serem difíceis de manutenir e caro pra voar. Os helicópteros russos a mesma coisa, já os americanos estão voando sem parar. Entre na página da força aérea e do exército que você verá os black hawk voando o tempo todo. Nos quase compramos aquele caça francês caro pra caramba e que não ia servir só porque era o conchavo do ex presidente.

      Quanto ao patriotismo, qual seria uma solução que você daria? Dizer ao povo que não seja patriota e não dê valor ao seu país? Tenho visão diferente da sua. O que você reclamou do patriotismo eu concordo em relação aos políticos corruptos que roubam mas aquele cidadão que paga seus impostos e cumpre a lei, esse é patriota e é dele que eu falo.

      Eu acho que adianta e muito falar de patriotismo e elevar o sentimento de que devemos lutar por um país melhor, isso deve ser ensinado às nossas crianças para evitar que no futuro tenhamos a esperança de ter políticos melhores.

      Enfim, sou otimista com o povo que somos mas estamos muito mal educados.

      Excluir
    4. Quando eu me referi aos helicópteros, me refiro aos da marinha, mas o Brasil possui muito mais unidades francesas nas 3 forças do que americanas, sem contar os projetos da marinha com os fanceses.

      Quanto ao rafale (caça francês), o lula anunciou a escolha dele, mas depois recuou, as forças armadas acharam que não era prudente termos todos os armamentos das 3 forças com a França de fornecedor principal, a opção pelo gripen foi sensata, mesmo que com quase 10 anos de atraso.

      Você mencionou que algumas discussões devem ficar no âmbito interno, mas todos os líderes políticos sabem dos problemas do Brasil, então, querer fazer um discurso de força no âmbito internacional é coisa pra inglês ver, pois todos sabem das nossas deficiências.

      A minha crítica ao patriotismo refere-se a utilização teórica do mesmo, as pessoas nada fazem de prático para o crescimento nacional, no entanto, invocam o patriotismo (conceito) pra dizer que são do bem, mas não fazem nada, só discurso, essa é a minha crítica ao patriotismo.

      Não adianta nada falar em patriotismo, fazermos desfile, mas depois que a festa acaba, a adrenalina baixa, o que temos, falta de saneamento, falta de segurança, ou até mesmo um buraco na rua, entre outras coisas que só o discurso não é capaz de incutir na mente dos cidadãos o desenvolvimento de um patriotismo como sentimento limpo.

      A diferença dos nossos políticos para a maioria dos políticos dos países desenvolvidos é que estes entenderam que para permanecer no governo devem fazer obras de desenvolvimento para o coletivo, lembre-se da explicação de Aristóteles sobre família, aldeia e Estado, sendo que o indíviduo permanece no Estado, pois além de ser um animal social, o Estado é capaz de garantir a nível macro comodidades acima da família e da aldeia, explicação de forma simplória, lembrando que Aristóteles condenava o Estado militar de Esparta, voltando ao tema, enquanto, os políticos brasileiros aprenderam que não é preciso fazer muitas coisas para o coletivo para permanecer no governo, ou seja, os políticos brasileiros durante aprenderam a fazer discurso (regra) e não obras (exceção).

      Em nenhum momento eu me posicionei contra o patriotismo, apenas critiquei a forma que a maioria das pessoas são influenciadas por discursos vazios, pois na prática não temos muitas coisas.

      Quanto a solução para o patriotismo, gostaria de ver discursos mais enxutos e com ações práticas, reconhecendo os problemas e solicitando o apoio de todos para a melhora nacional, mas o problema do patriotismo enquanto discurso levará tempo até ser melhorado, afinal, são no mínimo 30 anos de destruição e ridicularização do sentimento patriótico, a melhora para a compreensão do patriotismo se inicia pelas ruas sem lixo (calçadas limpas, livre de folhas e outras sujeiras, bem como sem buracos), pois a melhora da auto estima começa por um ambiente limpo, o nosso cérebro precisa de limpeza).

      Depois eu complemento o comentário.

      Anon que resolveu comentar.

      Excluir
    5. Entendi seu ponto de vista. Quanto aos helicópteros, o importante é a disponibilidade e custos. Neste quesito o americano ganha em disparada. Hora de voo do black hawk é a mais barata de todos e peças vem de um dia para o outro se precisarmos.

      Quanto ao patriotismo, acredito que não podemos misturar problemas políticos e de governo com patriotismo. De qualquer maneira este governo falando em patriotismo e não sendo corrupto como o anterior, já está trazendo grande melhoria para o país.

      Meu foco não é nesses problemas e sim nas possíveis soluções. Realmente ruas sujas são problemas dos cidadãos assim como políticos corruptos eleitos. O povo tem a força mas nós falta educação e cultura. O político não faz o que você falou porque não se sente ameaçado pelo povo.

      Um dia chegaremos lá.

      Excluir
  8. Achei o discurso pertinente, direto e grosso bem ao estilo Bolsonaro (que certamente é o estilo certo diferentemente da hipocrisia do politicamente correto do socialismo). O grande problema é que os europeus, depois de séculos e séculos de pilhagem e aniquilação de varias culturas e povos aqui das Américas e de outros lugares do planeta ainda não se ligaram que a época da colonização há muito chegou ao fim. Em tempo que fique registrado que quem agrediu alguem primeiro foi o sr. Macron chamando o colega brasileiro de mentiroso. Isso aí BPM.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então Marcos, eles podem até tentar mas nós não podemos deixar. A primeira patada de que o Brasil é soberano e não pode querer se meter aqui nem falar mal foi com o prefeito de NY. Depois foi com Macron. Sou da política de que meus amigos e minha família não tem defeitos quando outros acham que tem. Eu posso falar mal dos meus amigos e da minha família mas os outros não.

      Excluir
  9. Bacana o relato BPM

    Do discurso achei que foi muito bom, chegou com o pé no peito. Até apertei no meu micro ondas 17 novamente pq nao tinha urna pra votar aqui do lado kkkkk O discurso foi em linha com o do Trump, quem escutou os dois até acha que foi combinado, mas ambos bateram no real inimigo, os globalistas.

    Mas queria me ater ao motivo de ter feito o post.

    Agora é o seguinte esses corneteiros que vieram reclamar da sua opinião, manda eles irem a merda, esses caras acham que podem querer dizer oq vc tem que dizer ou não no seu blog.

    Veja bem, independente se você é pro X ou Y isso não importa, aqui é sua casa, se vc quiser falar vc tem que falar, e o cara não tem que ficar dando xilique e dizendo oq vc pode ou não falar, ninguém paga a conta do seu servidor no final do mês, então liga o loco e mande irem a merda, que é o mínimo.


    Esses mentecaptos, na época da eleição, quando apoiei abertamente o impeachment e depois o Bolsonaro, surtaram comigo, teve impacto no meu acesso? Zero, na verdade, deu sim, mas positivo, porque muitos outros leitores gostaram da minha tomada de posição e não ter ficado em cima do muro, mesmo que alguns não concordassem 100% comigo. É disso que esperamos de um blog pessoal, que o cara seja pessoal e externalize o que ele pensa, se quiser leitor de noticias vai ler jornal.





    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu VDD,

      Acho que todos devem ter uma opinião. As opiniões não precisam ser iguais mas todos devem ter opinião sobre as coisas o grande problema é não respeitar as dos demais.

      O espaço é aberto a quem quiser participar desde que não haja ofensas e respeitem as demais opinões. Acompanhei seu apoio ao Bolsonaro nas eleições e foi até engraçado kkkkk

      Agora, realmente, aqui são minhas opinões né, não são notícias manipuladas.

      Abraço.

      Excluir
  10. Olá, colega. Tudo bem?
    Eu, pessoalmente, havia três semanas que não sabia o que estava acontecendo nas notícias, pois simplesmente desliguei de tão focado que estava (estou) na leitura de diversos temas de meu interesse.
    Por coincidência, estava indo a Porto Alegre para algumas reuniões, e no Avião da Azul tinha uma televisão em cada acento (como em voos internacionais). Estava daí passando o discurso do Bolsonaro, eu parei de ouvir o podcast que estava ouvindo do Peter Attia sobre mitocôndria e envelhecimento, e coloquei o fone para ouvir o discurso.
    Eu, pessoalmente, achei o discurso bizarro para um chefe de estado. Porém, eu acho esse governo uma grande tragédia para o país, então minha visão pode ser caracterizada como parcial nesse tópico.
    Além do mais, esses assuntos são tão desimportantes para a minha vida, minha saúde mental e da minha família, ou pelo contrário eles são até nocivos pois apenas fazem mal, principalmente quando pessoas realmente ficam nervosas ou passionais por causa disso.
    Então, para mim, realmente pouco importa.
    Apesar disso, para além de juízos de valor, há certas condições que um discurso ou uma ideia precisa pelo menos manter, independente de ideologia.
    Quando ele fala que está fazendo um governo onde a ideologia não tem mais importância para questões econômicas, o que de certa forma faz sentido a nível de comércio internacional, mas ao mesmo tempo no seu texto você interpreta o seguinte "Disse também que não tem compromisso com países socialistas, com países de questões duvidosas quanto á seu povo, sua economia ou quanto a qualquer outra agenda oculta ou não", o discurso perde qualquer força lógica. Não é questão de achar que é certo ou errado o discurso, agressivo ou não, é simplesmente ilógico, ou seja não se sustenta independente da qualidade do argumento.
    O certo seria "esse é um governo ideológico que irá pautar o comércio exterior por algumas balizas ideológicas", é a única maneira de se manter a coerência. Se isso é certo ou não, isso é uma outra discussão.

    Sobre a frase grifada no seu texto "Disse também que não tem compromisso com países socialistas, com países de questões duvidosas quanto á seu povo, sua economia ou quanto a qualquer outra agenda oculta ou não", e agora eu não vou para coerência, mas sim para a análise dela mesmo, é difícil argumentar que ela possui qualquer ligação com a realidade.

    O Brasil não tem compromisso com países socialistas (querendo dizer que não iremos priorizar negócios com eles) isso se estende ao nosso maior parceiro comercial a China? Deveria, pois a China é um país comunista, com um sistema político extremamente fechado e controlado, com um único partido central controlado por uma elite. Imagino que ninguém quer enfraquecer o comércio e relações com a China, logo o discurso já não se mostra verdadeiro.
    Se formos além para o não fazer comércio ou ter relações com "com países de questões duvidosas quanto á seu povo", não negociaremos mais com a Arábia Saudita? Bolsonaro que emula tanto o Trump deve, ou deveria saber, que a Arábia Saudita é o maior parceiro americano na instável região do Oriente Médio, e isso está por trás das constantes e cada vez maiores ameaças dos EUA ao Irã, já que o país persa e o país árabe são as duas potências antagônicas da região (e vá por mim, entre Arábia Saudita e Irã, os iranianos estão anos luz na frente em relação a respeito a minorias, direito das mulheres, direitos humanos, etc).
    Se fosse para ter qualquer coerência, o Brasil não deveria ter qualquer relação com a Arabia Saudita. Pior ao tomar um lado de se tornar o destino tão atrelado ao Trump, ainda podemos comprar uma briga desnecessária, que nunca foi nossa, com o Irã, que se não me engano é o sexto parceiro comercial do Brasil, sendo nossa balança extremamente superavitaria com os iranianos.
    Pior ainda, e se o Trump não se reeleger? Como fica a nossa relação?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Soul! Sempre com boas ponderações.

      Entendo seu ponto de vista e, naturalmente, concordo com umas coisas e não com outras.

      Falando apenas da frase "Disse também que não tem compromisso com países socialistas, com países de questões duvidosas quanto á seu povo, sua economia ou quanto a qualquer outra agenda oculta ou não", sabemos que ele se referiu à Venezuela e Cuba. Eu estive em Cuba e visitei o porto que foi construído lá e acredite, precisamos daquele investimento aqui.
      Já a agenda oculta ele se referiu ao Foro de São Paulo, o que também foi dito por ele.

      Problema é que a política no Brasil virou arena de guerra de lados e nessa "guerra" a arma mais poderosa é tentar desbancar a oposição e não focar nas ideias de governo. Isto serve para os dois lado.

      Corroboro muito com sua opinião de que é nocivo quando pessoas ficam nervosas ou passionadas por causa disso. Ouvir bons argumentos e pode contrapô-los é saudável mas a partir do momento que isso estressa e irrita, é hora de parar.

      Os outros tópicos, só o tempo dirá.

      Excluir
  11. Relações internacionais não são arena para birras, egos pessoais ou discursos vazios de combate ao "socialismo, globalismo", é estupidez se posicionar fortemente em relações a certos assuntos, sob o risco da maré mudar e isso prejudicar o próprio Brasil.
    Na arena internacional, esse governo parece não ter a mínima ideia do que está fazendo, em minha opinião.

    Sobre Amazônia, colonialismo, França, etc, só o tempo dirá se esse jogo de palavras irá ter agregado alguma coisa ou não ao nosso país em termos de comércio internacional. Minha opinião é que será deletério, mas isso, como disse acima, só o tempo para mostrar.

    Um abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo que as Relações Internacionais não são arena para birras, egos pessoais ou discursos vazios mas te confesso que tá difícil para vários países. Macron também não foi o estado da arte em relações internacionais quando criticou o Brasil. Enfim, só o tempo dirá.

      Abraço!

      Excluir

Deixe aqui seu comentário, colabore com a comunidade rumo à independência financeira!