O que está por trás da disputa EUA X China

by - 11:25

Fala galera da Finansfera!!!




Eleições americanas estão piores do que as eleições brasileiras de 2014 quando Dilma disputava voto a voto com Aécio Neves, não é verdade? Quando a gente pensa que só o Brasil tem essa história de fraude nas eleições, os americanos mostram que também possuem um lado obscuro. Claro que eu já acredito em corrupção nos EUA há tempos, afinal, quem não assistiu House of Cards, fica a recomendação.

Fato é que a mídia já deu a vitória para o Biden. Na verdade ele já tem a maioria e tecnicamente, já é o campeão das eleições, no entanto, o anúncio oficial não sai agora e por isso esse alarde todo da mídia e das pessoas em geral. Trump já está recorrendo à justiça para rever a contagem dos votos (não falei que estava igualzinho o Brasil em 2014?) e com isso, muita coisa ainda vai rolar. 

Em Michigan alguma coisa já mudou. Recontaram os votos e a vitória que era de Biden, passou para Trump. No fim das contas ficaremos sempre com a dúvida de: será que o Biden ganhou mesmo ou será que o Trump vai ganhar por reclamar demais?

Mas o post de hoje não é para ficar falando das tretas americanas e sim sobre geopolítica e o motivo de os Estados Unidos serem muito importante para o planeta. 


A importância dos Estados Unidos para o mundo

Deixando de lado emoções e ataques sem argumentação lógica, vou falar um pouco do que acho que vai acontecer e o porquê de os EUA serem muito importante para o mundo. Não vou nem tocar no assunto de economia e investimentos, para isto já escrevi post no www.comoinvestirnoexterior.com.

Em primeiro lugar quero deixar claro que não existe mocinho na história mundial. Todos são vilões de certa forma com interesses na riqueza de outros países, dito isto vem a primeira pergunta: 

Com qual vilão você se identifica mais?

Para resumir, digamos que no mundo existam dois tipos de regimes, o democrático e um autoritário. O democrático tende mais para o lado ocidental que é onde nos encontramos. Tirando a Venezuela e talvez mais algum outro país na nossa América, a maioria é democrática. Até o pessoal de esquerda está dentro da democracia, afinal de contas o PT foi eleito.

Já o regime autoritário é aquele em que a democracia vai até onde o líder quiser. Ou seja, não há democracia e sim a vontade de um líder. Temos governos como o da China, da Rússia e da Coréia do Norte nessa ponta.

Aqui vem sua primeira identificação. Com qual deles você se identifica mais? Você prefere um país onde as pessoas podem reclamar, votar, brigar e fazerem o que quiser (dentro de uma certa medida) ou um país onde o governo dita 90% das regras da sua vida?

Agora vamos à segunda pergunta.

Qual país no mundo pode se contrapor a um regime autoritário?

Se você escolheu um regime democrático na primeira pergunta, agora chegou a hora de responder a segunda. Quem você acha que é forte o suficiente para contrapor uma China ou uma Rússia, militarmente falando? Sim, ele mesmo, os Estados Unidos. O pais militarmente mais forte do mundo ainda são os Estados Unidos e por isso o interesse em enfraquecê-lo.

Já imaginou o que pode acontecer no mundo se os EUA se enfraquecem e a China passa a ser a maior potência mundial? Já pensou o que pode acontecer se a China começar tomar território por ai como está tentando fazer com Taiwan? Já viram as ilhas que estão construindo para poder tomar todo o mar em seu em torno?

Agora vamos à terceira e última pergunta deste post que já tem material pacas para debatermos.

Você acha que a China está se expandindo no mundo, principalmente na África, para ajudar as pessoas?

Como acabei de comentar, não existem mocinhos, somente vilões. Os EUA também podem ser vilões mas não vejo eles querendo dominar o mundo tomando ou comprando terras por ai. Historicamente (pode discordar a vontade nos comentários) os EUA entraram em algumas guerras para evitar que o comunismo ou o nazismo tomassem conta do mundo.

A China tem comprado o mundo aos poucos. Compra terras em países pobres, investem em infraestrutura e ganham licitações (alô Dória!) tudo em prol de ir dominando aos poucos os territórios. Você já deve ter jogado War, aquele jogo de tabuleiro onde a gente vai conquistando território por território né?!

Xin Jinpin sabe esperar. Tem paciência do avô de Jó. Tem seu plano bem definido e não existe alternância de poder para contrapor suas ideias. A tática é enfraquecer os países fortes e dominar os fracos e assim ganhar espaço no mundo.

Acha loucura? Não tem problema, comente o porque tudo isso pode ser loucura.


Estude sobre guerra EUA X China

Por fim vou deixar aqui dois canais no YouTube que são excelentes para estudar sobre o assunto. Já comentei sobre eles anteriormente mas reforço a qualidade das análises e acho que todos deveriam assistir.

Hoje no Mundo Militar




O Canal Hoje no Mundo Militar é um canal independente que estuda a história das guerras bem como os acontecimentos geopolíticos que podem levar a novos conflitos. Posso afirmar que as informações trazidas no canal são muito fidedignas sempre cometidos embasamentos. Não deixem de acompanhar os vídeos deles.





Mundo Rural Business



Esse aqui é mais engraçado ainda. O nome do canal nos remete apenas a pensar na parte rural dos negócios mas o canal vai muito além disso. Eles analisam com dados e muito cuidado tudo o que está acontecendo no mundo em relação ao agronegócio. Quem é um dos dois maiores produtor de soja do mundo? Nós mesmo! E quem é o maior consumidor de soja do mundo? Ela mesmo, a China.


O Mundo Rural Business sempre traz análises muito interessante em relação a como a China se comporta com nossa parceria de compra de produtos "rurais". Se vocês assistirem aos vídeos do Mundo Rural Business vão entender porque com o Biden ganhando, quem ganha mesmo é a China.




Considerações Finais

Estamos em um momento bastante conturbado no mundo. Os próximos anos serão decisivos para ver se os EUA irão se enfraquecer e a China vai tomar o lugar da maior potência mundial ou não. Se isto acontecer, o que será que vai representar para o mundo? Não acredito que o mundo irá virar de cabeça para baixo com a eleição do Biden mas a minha preocupação fica no longo prazo onde a China tem planos consistentes que já estão em prática.


E você? Acha eu tudo isso é viagem na maionese ou acha que realmente podemos estar diante de uma grande tentativa de enfraquecer os Estados Unidos para dar lugar à China como maior potência mundial? Qual vilão você escolhe?


Forte abraço!


BPM

You May Also Like

22 comentários

  1. China so esta fazendo oq EUA sempre fizeram.
    Por isso EUA estao putinhos.

    ResponderExcluir
  2. Boa análise, BPM. Que nem em toda eleição aqui no Brasil, devemos torcer para o menos pior. No contexto geopolítico, torço pelos EUA, que vejo como sendo o menos pior dos vilões mundiais, além da nossa cultura ser, acredito, mais próxima da deles que da dos chineses.
    Ao menos os EUA ainda tem algum embasamento nos valores judaico-cristãos que construíram o Ocidente, enquanto a China não compartilha destes valores (pelo menos o governo chinês não, tendo em vista a explícita perseguição religiosa que existe por lá, fora os mecanismos tenebrosos de controle social que eles adotam, ambas as coisas totalmente não condizentes com os valores ocidentais).

    Na minha opinião, quero mais que o governo chinês se lasque, e que o povo chinês se livre desses parasitas, para enfim conseguirem prosperar do jeito certo.

    Na eleição, torço pelo Trump. Mesmo que ele não consiga ganhar, que pelo menos caia atirando e com isso desmascare alguma coisa do deep state.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo comentário Mago 🧙🏼‍♂️. Acho importante pensar nisso que você comentou, questões culturais. De qualquer maneira respeito quem pense diferente.

      Excluir
  3. * A eleição entre Aécio e Dilma foi em 2014, não 2016, como o informado.

    Eu acho que sim, há todo um plano para desestabilizar o establishment atual (o ocidente democrático, liderado pelos EUA), pois a agenda globalista certamente não engoliu a vitória dos EUA na Guerra Fria. Mas eu acho que a direita tem que passar a ser como a esquerda e jogar sorrateiramente, existe umas teorias de conspiração muito malucas (como a do QAnon, Reptilianos e algumas coisas que os crentes veem nas Igrejas e saem espalhando), e isso só faz com que as pessoas que não tem uma opinião formada virem canhotas, pois a direita (e tudo aquilo que não é esquerda) é constamente ridicularizada e com razão na maioria das vezes. Se dependessemos de algumas religiões ainda estariamos como na Idade Média.

    ResponderExcluir
  4. Outra coisa que eu fiquei pensando foi o quanto o Papa Francisco está se comprometendo com a agenda progressista...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo, muito obrigado pela correção. Acabei falando o ano em que a Dilma sofreu impeachment. Vou corrigir.

      Excluir
    2. Também fico pensando nisso. Não tenho uma resposta ainda. Estranho né.

      Excluir
  5. Sempre existiu e sempre existirá uma potência hegemônica no mundo.

    Sobre os EUA, eles nunca foram defensores da democracia, na prática o interesse americano era sempre econômico sobre os outros países. Foi assim durante a época das "repúblicas de bananas", na intervenção na América Latina na Guerra Fria e no suporte que ele dá a monarquias e governos autoritários no Oriente Médio.

    A China tem uma abordagem que vai praticamente no mesmo estilo, a diferença é que os EUA gostam até de certas formas de democracia enquanto os chineses acham mais seguro financiar governos autoritários.

    Os EUA não vão conseguir se sustentar na liderança mundial, a China é economicamente e demograficamente favorita para ser a nova potência mundial, e não será assim por muito tempo. Eu acredito que a disputa EUA vs. China ainda vai dominar a década de 20, mas a próxima década começara a ver o protagonismo da disputa 'China vs. Índia', pois demograficamente a Índia é que tem a melhor janela de oportunidade.

    O processo de troca de grandes potências é assim mesmo, é normal termos medo, mas não é a primeira vez. Os romanos foram substituídos em pouco tempo elos Bizantinos (pós-romanos) e pelo Império de Carlos Magno, depois veio o domínio Habsburgo, o domínio espanhol, o domínio britânico e por último o domínio americano. É parte do processo natural.

    Enfim, acho que como nação devemos tentar tirar o melhor que essa disputa pela hegemonia pode nos dar, infelizmente o governo para ter escolhido um lado, quando poderia ter os dois.

    Abraços,
    Pi.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. PI, muito obrigado pelo seu comentário e parabéns pela sua argumentação. Concordo com você que houve várias trocas de potência na nossa história e realmente sempre teremos medo na mudança.

      De fato China e Índia são os maiores em termo de população mas a Índia ainda é bem inferior à China.

      Como falei, os EUA não são mocinho por isso, escolha seu vilão 🦹‍♂️ 😂

      Excluir
  6. está tentando fazer com Taiwan? ??????????
    Caraca, vc precisa é de um livro de história oriental. Sabe nada meu caro. China ou EUA é a mesma merda, um esconde o que faz, outro faz abertamente, qual a diferença?
    Fico é rindo desta ilusão que vcs tem que os EUA é a democracia e o povo tem escolha hahahah vai lá dizer isso pro exército americano que manda mais que o próprio presidente que nem abre a verdade sobre ovnis para os presidentes por não confiar neles...ah paramos por ai

    ResponderExcluir
  7. A preocupação dos EUA com a democracia é apenas pretexto para interferir no tabuleiro geopolítico, caso contrário não apoiariam o regime autoritário da Arábia Saudita. Espalham guerra pelo mundo por causa do petróleo, mas justificam que é para proteger a democracia. Acredita quem quer. Olhe para a história da América Latina e vai perceber que todos os governos autoritários foram de extrema-direita. Só olhar para o golpe que deram na Bolívia há um ano. A Venezuela talvez seja o único caso de autoritarismo de esquerda na América Latina na história recente. A aversão ao fantasma do comunismo brasileiro leva a maioria dos investidores a votar em um presidente que diz não entender nada de economia. O ministro da fazenda, o " posto Ipiranga", nunca tinha exercido um cargo de gestão pública, e ontem disse que possui receio em não conseguir rolar a dívida pública. Ainda falou que tem receio da volta da hiperinflação. Espero estar errado, mas o Brasil desde 1994 nunca esteve tão próximo da bancarrota. Cuidado investidores, a cegueira ideológica proporciona análises econômicas e políticas equivocada. Pensar com o fígado, como os brasileiros fizeram em 2018, geralmente não acaba bem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Bruno, obrigado pelo seu comentário. Como falei, os EUA não são mocinhos mas minha dúvida é dentre as duas potências, qual você acha que deve ser a maior a influenciar o mundo? Tome como premissa de que no mundo sempre haverá uma potência maior.

      Perceba que não estou debatendo sobre as ações dos EUA e sim qual dos dois há um alinhamento maior com seu pensamento.

      Se houvesse um plebiscito, em qual você votaria?

      Excluir
    2. BP Milhão, acredito que seria salutar que não houvesse hegemonia de uma única potência apenas, mas uma correlação de forças multipolar.Então não faria escolha entre EUA e China, mas torceria para que outras potências aumentassem o poderio militar e econômico. Gostaria que a economia brasileira não fosse tão dependente da exportação de matéria-prima para poder ocupar outra posição na divisão internacional do trabalho. Somos fadados a sermos meros exportadores de minérios e produtos agropecuários. No comércio exterior acho irrelevante o regime político ou a ideologia do país. Se eu tivesse um comércio, não perguntaria ao cliente qual a ideologia, costumes ou religião que ele possui. Tanto na diplomacia, como no comércio exterior uma dose de pragmatismo é fundamental.

      Excluir
    3. Legal Bruno, concordo com você em tudo o que disse. Quanto mais potências, mais “concorrência”.

      No quesito Brasil, também tenho o mesmo sentimento que você. Infelizmente demora anos pra mudar isso. Teríamos que começar pela Remessa duração fomentando a ciência e o desenvolvimento de tecnologias. Se olharmos os países que der saltos de crescimentos, todos se desenvolveram com tecnologia mas infelizmente nosso país prefere outras pautas.

      Excluir
    4. Exatamente, BP Milhão. Investimento em ciência e tecnologia.

      Excluir
  8. Opa, BP, fazia mais de 60-90 dias que não lia nenhum artigo de blogs de finanças pessoais. Resolvi ler o seu artigo.
    Não vou comentar o artigo em si, mas apenas um detalhe. "Em Michigan alguma coisa já mudou. Recontaram os votos e a vitória que era de Biden, passou para Trump". O Biden ganhou com quase 150 mil votos de diferença em Michigan, não houve mudança nenhuma. Esse tipo de erro de fato crasso meio que faz todo o texto que se segue perder, e muito, qualquer força analítica crível.
    Não me entenda mal, apenas uma observação.
    Espero que você e sua família esteja bem e tenham passado bem nesses últimos meses.
    Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Soul. Seja sempre bem vindo por aqui com seus comentários.

      Sobre a notícia de Michigan, era a notícia que se tinha no dia que eu escrevi o post. Não tirei da cabeça, pesquisei no Google e abri 5 mídias diferentes. Infelizmente nossas mídias, e até as internacionais, não são fidedignas assim. De qualquer forma, como já foi noticiado, não alterou-se nada nos resultado é nem acho que vá alterar.

      Quanto a perder qualquer força analítica do texto por conta disso, fica a critério de cada um. Nem sempre um texto é alinhado com nosso pensamento e aí que a dialética é boa.

      Graças a Deus passamos todos bem por esse período de pandemia e assim estamos.

      Forte abraço.

      Excluir
  9. Em 2030 é prevista a "aguardada" ultrapassagem por PIB nominal da China em relação aos EUA. Militarmente, parece que a paridade só ocorrerá em 2050.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero estar vivo para ver 😂

      Excluir
    2. É os Chineses só tem 2 bilhões de potenciais soldados... Imagina com um pouco mais de tecnologia como esta se desenhando, facilmente dominarão o mundo. Vamos aprendendo mandarin

      Excluir
  10. Fico feliz em ver comentários de pessoas que não se deixam levar pela aparência de bom menino dos EUA e sabem que no fundo eles são muito piores do que a China. Não estamos perdidos ainda.

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário, colabore com a comunidade rumo à independência financeira!