quinta-feira, 31 de agosto de 2017

Nova compra de REIT - DLR Digital Realty Trust

Fala galera da Finansfera!!!


Quem me segue já percebeu que não estou cumprindo 100% do planejado conforme citei neste post. Mas de qualquer maneira, continuo aportando bastante e aumentando posição no exterior. Para quem ainda não viu vale a pena dar uma olhada na página "Carteira" e conferir as porcentagens nos diversos indexadores considerando inclusive a quantia no exterior.

Para fechar agosto bem fechado não resisti e comprei um REIT que já estava namorando há algum tempo. O DLR - Digital Realty Trust.

Trata-se de um REIT que aluga espaços para Data Center, os famosos Cloud, interconexão e serviço de rede. O Investidor Internacional já havia dado a dica para estudar este nicho e acabei fazendo por acreditar que o futuro é cada vez mais tecnológico.

Tá faltando Brasil nesse portifólio :(


Como eu avalio empresas com base no que uso, gosto e vivo, este REIT cai como uma luva pra mim pois sou usuário de cloud. Uso o iCloud para praticamente tudo o que tenho. Todos os meus Apple Devices ficam conectados 24 horas na nuvem. Uso o Google Drive também até de Dropbox. Tenho conta no iDrive, no Box, no photobucket e em mais alguns outros e todos eles precisam de um lugar para armazenar tudo isso, é aí que entra o DLR fornecendo toda a estrutura.

Viu como o ramo cresce absurdamente? Quem diria que há 10 anos isso iria existir desse jeito? Hoje quem diz que isso vai acabar? Quem consegue se imaginar vivendo sem ter alguma coisa de fácil acesso tanto pelo celular quanto pelo computador, tablet e mais ainda hoje até nas TV e Video Games.

O DLR fundiu-se recentemente o DuPont Fabros Technology aumentando assim sua capacidade geradora de dividendos bem como toda a sua capacidade operativa. 


Essa fusão tende a ser muito boa e a própria apresentação do DLR mostram números otimistas. São 157 propriedades, 12 países, 33 áreas e mais de 26 milhões de metros quadrados.


A DFT tem ocupação de 98%.



Neste slide podemos ver o crescimento e os principais usuários.


Para chancelar a qualidade do REIT, reparem nos clientes de peso que ele possui. 


Para corroborar o otimismo sobre o crescimento do DLR, eles estão investindo em um novo centro e é só a bagatela de 1 bilhão de dólares! A reportagem pode ser lida neste post.

O projeto será dividido em 3 fases e deve durar em torno de 22 a 23 anos. Cada fase sozinha duraria em torno de 15 anos porém as fases podem ser construídas simultaneamente.

Os dividendos tem crescimento há 12 anos e o FFO é suficiente para manter isso por mais algum tempo caso tenha alguma pedra pelo caminho, o que acho até um pouco difícil diante das novidades tecnológicas e ao fácil acesso às nuvens.



Por fim podemos ver o crescimento nos últimos 5 anos e assim acredito que continue.


Com esta compra eu começo a balancear minha carteira no exterior. Estou traçando uma nova estratégia de equilibrar stocks, ETF e REIT e esse foi meu terceiro REIT, sendo o primeiro o "O" é o segundo o "EPR".

Já já mais atualizações da carteira e o próximo ativo a ser comprado!

Sobre investir no exterior, sempre temos tabus com relação a isso mas depois que começa a estudar e entender o mercado realmente fica muito mais divertido do que se aventurar na Bovespa kkkk. Não que eu não vá investir mais no Brasil mas no momento estou gostando muito de estudar tanta coisa que tem no mundo afora.

Se você ainda não se libertou das garras do comodismo e continua achando que é muito difícil investir no exterior, acesse este link e veja que devagar a gente chega lá.

Por enquanto é isso pessoal.

Abraço a todos!

Avalie:

12 comentários:

  1. Fala BPM

    Lendo seu post e levando em consideração as cidades que passei nesta última semana e principalmente esta que estou neste exato momento da elaboração do comentário, eu só queria estar dentro de algum desses Data Centers, aproveitando o ar condicionado industrial que faz a refrigeração desses monstrengos =D

    Brincadeiras a parte, excelente REIT para ser analisado e posteriormente investido. A utilização da cloud é uma realidade sem volta.

    Engraçado que ao ler seu post eu imediatamente associei com esta viagem que estou fazendo e todo o contexto da população nela inserida. É ABSURDO a quantidade de brasileiros que vive num mundo completamente a parte de todas estas evoluções que tanto discutimos na finansfera.

    Aparentemente é um tema batido, mas eu mesmo subestimei o tamanho do penhasco entre alguns segmentos populacionais e as respectivas inovações tecnológicas.

    Abs amigo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Camarada TR,

      Diga-me por onde andas que te direis como é kkkkkk

      Conheço alguns rincões por aí também é posso afirmar que existem vários mundos diferentes com realidades completamente diferentes. Alguns assuntos que conversamos parecemos alienígenas e se for falar de tecnologia então....

      Por onde andas? Já andei por lugares que você nem imagina, nem sempre estou em ilhas paradisíacas kkkk

      Abraço camarada!

      Excluir
  2. Olá BPM!

    Reit interessantíssimo hein, e legal ver o porte dos clientes dele. anotei aqui para estuda-lo.


    Abraços

    ResponderExcluir
  3. Mestre BPM.
    Eu já fiz algumas ponderações tributárias sobre REITs americanos e optei por não investir neles. Fiquei com 2 etfs nos EUA e um na Irlanda. Lhe desejo boa sorte nas suas escolhas.
    Talvez por uma offshore faça mais sentido para mim num futuro, mas veremos.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Frugal!

      Não vi essas considerações. Posta o link aqui.

      Pois é, dentro dessa minha diversificação resolvi participar de REIT também. Existem tantas coisas boas por aí que decidi dar espaço na carteira.

      Mesmo com 30% de imposto ainda acho que vale a pena pois eu trato as carteiras diferentemente e não quero focar carregado em apenas dois ou três ativos.

      Sua carteira ainda ta publicada no blog?

      Excluir
    2. Concordo com Frugal. Há uma tributação de 30% nos dividendos para investidores estrangeiros. A subida que você viu talvez se deva mais ao baixo nível da taxa de juros da economia americana que somente ao ETF. Ao meu ver, os ativos americanos estão com preço bem elevado.
      Faz um ano que observo este ETF, mas as considerações acima me impediram de comprar. Andei comprando ETFs de commodities e outros com domicílio na Irlanda. No momento vendi ativos com valorização de 50% (deixei a ganância e a torcida de lado) e estou apenas enviando dólares pra corretora.

      Excluir
    3. Anonimo,

      Eu entendo perfeitamente essa filosofia sua e do Frugal e concordo com ela pois sei que tudo depende do perfil de cada um. Não é nada que fuja ao racional, é apenas uma estratégia diferente.

      Quanto aos 30% sobre os dividendos eu encaro de uma maneira um pouco diferente. Considero que um yield de 3% a.a. é como se fosse um IPCA + 6 no Brasil, uma vez que as moedas seguem as inflações e o dólar está sempre acima de 3 reais. Apesar de não ficar investindo lá fora e fazendo comparativos com o Brasil ainda acho que vale a pena.

      A alta que mencionei é referente não ao baixo nível de juros e sim ao progresso que o DLR vem realizando, ampliando sua capacidade e também às necessidades das empresas de manterem tudo na nuvem, não tô considerando uma alta no valor do ativo e sim o que ele pode proporcionar em pagamentos de alugueis mensalmente com a capacidade de oferecer o serviço.

      Não entendo quando falou que faz um ano que observa este ETF, na verdade o DLR é um REIT dos EUA.

      Essa de comprar ETF na Irlanda faz parte da minha estratégia e uma das coisas que farei em breve é pegar todo os pingados que receber e ir aumentando a posição nos que já possuo.

      Procuro sempre novas oportunidades e já estou de olho nas empresas de Games e no ETF QQQ.

      Abraço!

      Excluir
  4. BPM, boa noite.

    Excelente texto. Devo iniciar em breve minhas desventuras no mercado global e aprendo demais com quem já tá nessa jornada.

    Uma pergunta: como você controla o seu patrimônio total? Quero dizer... vc converte tudo a real ou a dolar pra saber qual tamanho da sua carteira?

    Abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ceariba,

      Esta pergunta cabe um belo post mas vamos lá, vou responder.

      Eu uso uma planilha que fui adaptando ao longo do tempo. Nela contém todos os dados sobre os investimentos e com isso fica fácil selecionar qualquer critério que eu queira.

      Eu uso o Numbers da Apple pois uso MacBook ao invés de windows e acho muito mais fácil de selecionar critérios. O Numbers utiliza uma espécie de mesa ao invés de um arquivo como o excel. Imagine uma mesa em que você pode colocar gráficos, dados, videos, fotos, links e tudo mais? Então, você pode fazer isso no numbers e preencher sua planilha com qualquer dado que quiser, diferentemente do excel onde você adiciona coisas à planilha.

      No caso dos ativos do exterior eu tenho os dois controles. Um só em dólar e outro convertido em reais com o dólar oficial no BC que é o do último dia útil da primeira quinzena do mês anterior.

      Para ilustrar a planilha que uso, coloquei uma imagem no facebook. Dá uma olhada neste link https://www.facebook.com/BPMilhao/photos/a.1667899016576476.1073741828.1617522784947433/1667893153243729/?type=3&theater que você verá e fique a vontade para tirar dúvidas.

      Excluir
    2. Valeu, BPM.

      Pergunto porque em breve irei morar fora do país e penso em investir por lá. Como o meu custo de vida nao vai ser em real, devo criar uma forma alternativa de controle do orçamento pessoal/investimentos.

      Seu resumo e explicações estão excelentes, amigo. Seguirei acompanhando, aprendo muito.

      Abraço!

      Excluir
    3. O controle financeiro é fundamental, não deixe de fazer.

      Excluir

Deixe aqui seu comentário, colabore com a comunidade rumo à independência financeira!